#2 Os ceifeiros da última hora

“Porque nisto é verdadeiro o ditado, que um é o que semeia, e o outro é o que ceifa” (João 4.37).

Vale aqui uma pergunta simples e direta: somos semeadores ou ceifeiros? O semeador é o que espalha a semente pela terra, enquanto o ceifeiro cuida da ceifa, de como cortar o cereal com foice ou com outro instrumento cortante, de modo a cortá-lo, matá-lo… Assim o papel do ceifeiro segundo Cristo é matar o homem para o mundo e fazê-lo viver no Reino de Deus. Vivificá-lo através do Evangelho de Cristo.

O ceifeiro é na verdade o segador que corta o cereal da terra. O homem que é alvo do ceifeiro, o qual estava desgarrado como ovelha que não tem pastor, mergulhado no mundo pervertido, sem paz, sem Deus, sem felicidade, nos vícios, na bebida e na prostituição, quando é alcançado pelo ceifeiro celestial, lavado e remido pelo sangue do Cordeiro de Deus, então, morre para o mundo e vive para Deus.

Esse homem distante do Senhor, tal como ossos secos no vale, contado por Ezequiel no capítulo 37, necessita de que haja um estalido, um despertamento em sua vida para que ele volte a viver. Seja de fato cortado da terra, do mundo, como o cereal colhido pelo segador, para depois ter utilidade. O homem precisa deixar o mundo perdido e ter um encontro verdadeiro com Cristo e nessa relação homem e Deus, o ceifeiro deve agir a fim de que o Espírito Santo possa convencê-lo do pecado da justiça e do juízo.

No mundo globalizado e capitalista como o nosso, até mesmo as igrejas tidas e havidas como evangélicas têm se comportado de maneira contrária ao trabalho iniciado pela Igreja Primitiva a qual seguiu fielmente o IDE de Jesus Cristo, ou seja, valorizavam mais a semente do que o semeador. Hoje, quem prega é mais importante do que a mensagem. Ou seja, a semente não tem grande importância, mas ele, o pregador, o semeador é que é o tal. E é por isso que o evangelho está cada vez mais necessitando do poder de Deus para a salvação daqueles que estão cansados e oprimidos pelo mundo perdido e sem paz.

Certa vez os discípulos de João Batista o quiseram valorizar diante de Cristo. Eles não conheciam outro semeador, a não ser João. Eles não conheciam a verdadeira semente, Cristo. Eles aproveitaram para falar da SEMENTE, e João após ouvir o relato deles disse: “Que Ele (a semente) cresça e eu (o semeador) diminua”. O que se vê por esse mundo de Deus é que estamos valorizando mais o semeador do que a semente e isso é um perigo eminente para o crescimento do Reino de Deus.

O trabalho do semeador é colocar a semente na terra, é lançar a Palavra de Deus no mundo, na seara grande e extensa, enquanto o ceifeiro é o que colhe, ceifa e sega. Você é semeador ou ceifeiro. Deus está a procura de ceifeiros, pois a semente já está lançada, plantada, os campos já estão prontos para a ceifa, só precisa de alguém disposto para colher para Deus o produto da evangelização.

A semente já foi plantada, o mundo está mais do que evangelizado, o que falta na verdade é ceifeiros dispostos que tenham poder, unção e amor pelas almas perdidas. Não se consegue fazer nada diante do “deus da seara, do mundo”, Satanás, sem que para isto tenha-se uma vida de consagração e de constante oração.

Existem três procedimentos importantes e básicos para aqueles que desejam se tornar bons ceifadores para Cristo. Em Mateus lemos: “E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo. E, vendo as multidões, teve grande compaixão delas, porque andavam cansadas e desgarradas, como ovelhas que não têm pastor. Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros. Rogai, pois, ao Senhor da seara, que mande ceifeiros para a sua seara.” (Mateus 9.35-38). Quais os três quesitos básicos? Ensinar, Pregar e Curar.

A igreja que está despertada, avivada, que valoriza mais a semente do que o semeador, e que tem ceifeiros dispostos e comprometidos com a Obra de Deus, ela ensina, prega e realiza curas para o crescimento do Reino de Deus. Aleluia! Lembre-se, somos os ceifeiros da última hora.

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook