#5 Os ceifeiros da última hora

“Porque nisto é verdadeiro o ditado, que um é o que semeia, e o outro é o que ceifa” (João 4.37).

O trabalho do semeador é colocar a semente na terra, na seara, é pregar de fato o Evangelho de Jesus Cristo aos homens sedentos de Deus. Enquanto a semente estiver retida no seu coração, ou seja, guardada no celeiro da sua vida, jamais teremos safra, jamais encontraremos ceifeiros dispostos para efetuar o seu trabalho eficazmente, pois como “ouvirão se não há quem pregue”, diz Paulo aos romanos.

Uma vez que a semente for deixada no celeiro, nunca produzirá uma safra, por isso seu trabalho é importante. Mas a identidade pessoal do semeador não é. O semeador nunca é chamado pelo nome na parábola contada por Jesus, não porque ele não seja importante, ele é de fundamental valor, porém, a semente é a maior valia. Nada nos é dito sobre a aparência do semeador, nem de sua capacidade, de sua personalidade ou suas realizações. Ele simplesmente põe a semente em contato com o solo. A colheita depende da combinação do solo com a semente.

Aplicando-se espiritualmente os ensinamentos, os seguidores de Cristo devem estar ensinando a Palavra. Quanto mais ela é plantada nos corações dos homens, maior será a colheita. Todavia a identidade do semeador, do lavrador não tem importância, pois, a semente é que é a mais importante coisa da Parábola.

Cada vida alcançada pela pregação é o resultado da Palavra de Deus dentro do coração de quem ouve a mensagem: A palavra gera (Tiago 1:18); A palavra salva (Tiago 1:21); A palavra regenera (1 Pedro 1:23); A palavra liberta (João 8:32); A palavra produz fé (Romanos 10:17); A palavra santifica (João 17:17); A palavra nos atrai a Deus (João 6:44-45). Pela palavra alcançaremos a vida Eterna com Cristo. Pela palavra tenho condições de comer o bem desta terra; Pela palavra tenho condições de realizar milagres maiores do os que Cristo realizou na terra, ele mesmo é quem disse, “Como podeis vós crer, recebendo honra uns dos outros, e não buscando a honra que vem só de Deus?” (Joao 5.44).

No primeiro século pouco se falava do homem, o evangelho era muito mais importante do que o pregador e por isso o Espírito Santo cooperava com eles e a glória era dada a Deus e poder e os milagres eram derramados no meio do povo.

O evangelho se espalhava numa velocidade extraordinária porque o Evangelho era mais importante do que o mensageiro. O mensageiro hoje rouba a cena de um culto. Ele muitas vezes é o espetáculo é o centro das atenções, enquanto a mensagem fica em segundo lugar. Deus, então, fica em terceiro lugar.

Os homens eram alcançados pelo poder da Palavra pregada e ensinada. A importância das Escrituras deve ser ressaltada ao máximo nos dias de hoje.

Muitas igrejas não pregam mais a Palavra. Elas querem atrair as pessoas pela diversidade de eventos mirabolantes, tais como: festas, aulas de inglês, espanhol, Italiano, etc,; encontro de bandas, festa do milho, e muitas outras atividades que nada se relaciona com a pregação da Palavra de Deus. Como teremos conversões, milagres e manifestação do poder de Deus? Vamos mudar esse quadro. Deus conta com você que é ceifeiro da última hora. Amém!

Lembre-se que o CEIFEIRO é aquele que trabalha na ceifa, na colheita; quem corta cereais com foice ou com outro instrumento cortante. CEIFEIRO é quem ceifa, destrói ou tira vida, porém, o ceifeiro do Reino de Deus é aquele que tira o homem do mundo. Neste caso o homem morre para a vida de pecado e renasce para a vida de consagração, vivendo agora como uma nova criatura e recebendo de Cristo as novas bênçãos para a sua vida. Isso só será possível se eu e você nos dedicarmos à evangelização dos povos como ceifeiros da última hora!

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook