“Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós. Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade.” (1 Coríntios 5.7,8).

 

A Bíblia quando aborda esse assunto do fermento é para servir de alerta para todos os cristãos que desejam ter uma vida santificada na presença do Senhor. O fermento é símbolo do pecado que tão de perto nos rodeia.

Jesus Cristo é a nossa massa verdadeira, pois não tem fermento, ou seja, não tem mácula, não tem pecado e nenhuma mancha, é o Cordeiro imaculado que tira o pecado do mundo, como bem expressou João Batista.

Deus precisa de homens e de mulheres que sejam novas criaturas, que saibam como fugir do centro da tentação e sejam mais do que vitoriosos em Cristo, nosso Eterno e glorioso Salvador, autor e consumador da fé. A nossa festa dia após dia, na presença do Espírito Santo não pode ter o fermento velho, pois ele não irá te deixar leve, com a sensação de quem não tem pecado.

O fermento velho é o fermento da maldade, da corrupção e também da malícia. É preciso que em nossa festa diária não tenha nenhum tipo de fermento, mas tenhamos um coração puro, ou seja, forjado com os asmos da sinceridade e da verdade como bem expressou Paulo aos Coríntios.

É bom frisar que Jesus é a nossa páscoa, é a massa verdadeira, sem nenhum tipo de contaminação. Quem dEle se aproxima deve ter o cuidado para se chegar em espírito e em verdade, com uma vida inteiramente santificada e um espírito reto e cheio de humildade, a fim de que o Espírito Santo possa usá-lo grandemente.

Se há fermento velho em sua vida, se há algum vestígio de pecado em seu coração, então, é preciso confessar ao Senhor e deixar para traz todas as coisas velhas e que prejudicam a vida espiritual. Levante-se, seja uma nova massa para uso de Deus!