Antes da glória, há sofrimento!

“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente” (2 Coríntios 4.17).

Seria muito bom se ao aceitar Jesus Cristo como Senhor e Salvador o novo crente passasse a desfrutar das mais ricas e gloriosas bênçãos celestiais de modo a não lhe faltar nada e consequentemente, ele adquirisse toda e qualquer coisa que almejasse, desde as dádivas materiais e muito mais as espirituais, sem nenhum esforço, mas pelo simples fato de ter se tornado um seguidor de Cristo.

Como seriam as experiências no novo caminho, já que nada de empecilho iria acontecer, porquanto, o dinheiro, a saúde, a paz, a proteção, as facilidades para tocar a vida, tudo aconteceria de maneira extraordinária, levando-o a não sentir falta de nada nesse mundo. E os cuidados com a fé, a vida de santidade e o esforço para se manter firme na presença de Deus?

Não é bem assim na vida cristã. Quando a pessoa rompe sua comunhão com o mundo e procura se afastar das influências satânicas, todo inferno se mobiliza para levar o novo convertido de volta ao caminho largo, onde o pecado é praticado livremente, sem limites e sem normas ou regras definidas. Onde a desobediência é marca registrada para quem trilha a estrada da iniquidade.

Todo o crente fiel ao Senhor passa por provas de fogo: “Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós, para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse” (1 Pedro 4.12). O apóstolo Pedro recomenda que nos instantes de provações o cristão deve se alegrar, porquanto, o galardão não será recebido neste mundo, mas no vindouro: “Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis” (1 Pedro 4.13).

Será mesmo que devemos nos alegrar no sofrimento? Pedro é a grande autoridade no assunto e orienta a todos os crentes que não se surpreendam e se desesperem, mas permaneçam firmes na fé visto que a ardente prova só contribuirá para que o homem interior seja mais edificado e purificado, a fim de se aproximar mais do Senhor da glória.

O sofrimento tem a finalidade de aperfeiçoar ainda mais o crente na caminhada cristã, proporcionando-lhe mais união, comunhão e dependência de Deus. As tribulações redundam em benefícios para eles, todavia, elas não deverão ser motivadas por eles próprios, nem tão pouco compará-las com a glória do porvir: “Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.” (Romanos 8.18).

Quando nesta vida o crente não passa por alguma provação, e nem exista tribulação nenhuma em sua caminha de fé, então, alguma coisa está errada. É aconselhável, nesse instante, fazer um exame interior e procurar junto ao Espírito Santo saber o que está acontecendo de tão grave com a sua vida espiritual.

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook