“Já perdi a guerra…!”

“Melhor é a sabedoria do que as armas de guerra, porém um só pecador destrói muitos bens.” (Eclesiastes 9.18).

Por mais que se policie e seja cauteloso no aconselhamento se acaba entrando na intimidade de alguém, pois ele pega confiança e acaba revelando algum segredo mais interior. Foi o caso de alguém me afirmar que estava perdendo a guerra…

Não vou lhe revelar em qual área o amigo estava em crise, mas essa expressão, com frequência esta sendo evidenciada nos lábios de alguns cristãos, aparentemente, tão espirituais. Por que tal fato está acontecendo?

Quando a fé se constitui numa marca registrada do crente, e a sua esperança é firme, inabalável, tendo como agente de sua vida o amor, então, as coisas se tornam mais suáveis, porém, a luta, a batalha diária é a mesma para qualquer outro ser humano. O que faz o homem ser um vencedor? Paulo perdeu inúmeras batalhas na vida, porém, um dia ele começou a vencer as lutas que surgiam em seu caminho, sabe por que? Porque ele se tornou amigo de Cristo e tê-lo como seu Senhor e Salvador: “E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo.” (Filipenses 3.8).

Uma vez no caminho da salvação, não saia dele, mesmo que as dificuldades sejam grandes. Vença essas batalhas pela fé: “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou>” (Romanos 8.37). Quem abandona a fé encontrará sérios perigos: “Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se lhes o último estado pior do que o primeiro.” (2 Pedro 2.20).

A persistência em vencer a guerra é porque pensamos não somente neste mundo, mas no vindouro, onde o viver com Cristo será para todo o sempre: “Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.” (1 Coríntios 15.19).

Na maioria das vezes, perdemos essa guerra, para o mundo, para a carne e para Satanás, porque queremos a voltar a viver como se estivéssemos no mundo. É preciso ser forte, ter compromisso com a obra de Deus e confiar mais no agir do Espírito Santo: “Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: (Colossenses 2.20). Valorize a sua fé. Firme-se na sua esperança e exercite-se no amor. Fazendo assim, jamais você voltará a dizer: “Já perdi a guerra…!” – Paulo nos dá um ânimo maior quando diz: “Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio.” (Gálatas 3.25). E mais, “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” (Gálatas 2.20).

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook