Foram prostrados no deserto!

“Mas Deus não se agradou da maior parte deles, pelo que foram prostrados no deserto” (1 aos Coríntios 10.5).

Muitos encontram dificuldades para entenderem o motivo que levou Deus a não permitir que parte do povo não entrasse na terra prometida, mas ficassem prostrados no deserto. O apóstolo Paulo no capítulo dez de sua primeira carta aos Coríntios expõe todos os motivos, que entristeceram o coração de Deus para com Israel, seu povo.

Um deles foi a murmuração, que tanto definha espiritualmente a igreja do Senhor nos dias de hoje, os outros são, a cobiça, a idolatria, a imoralidade e o pôr o Senhor à prova. Todos estes rodeiam o cristão bem de perto e se conseguir fazer ninho no coração daqueles que não vigiam, certamente, o levará à derrota e à frieza espiritual.

Entre estes fatores adversos, capazes de embotar o testemunho do crente e maquiar uma falsa vitória espiritual, está o pecado da imoralidade, ou seja, da promiscuidade sexual. Esse problema tem se generalizado e atingido grande fatia da Igreja do Senhor Jesus espalhada pelo mundo inteiro. Tem gente vivendo junto, sem se casar, e frequentando a igreja, achando que são crentes autênticos e que podem perfeitamente irem para o céu ou mesmo serem arrebatados, o que não é verdade. Quem quer morar no céu e viver bem ao lado do Senhor aqui neste mundo é necessário que regularize sua vida conjugal e para isso é preciso força e fé para renunciar tudo quanto for impeditivo para que se tenha vitória na vida cristã.

Quem quer ser liberto e ter uma vida cristã saudável, sem que nada lhe acuse é preciso, mais que tudo, se enquadrar no preconizado na Palavra de Deus. Nós não somos melhor que o povo israelita daquela época, no entanto,  Deus não os poupou, como não nos poupará também.

Os pecados sexuais são na verdade os grandes problemas enfrentados pela igreja hoje em dia. Há aqueles que estão à espera do divórcio e estão flertando ou mesmo namorando, mesmo antes de terem a carta de divórcio em mãos e terem apresentado o seu problema ao anjo da igreja e receberem a bênção do novo casamento.

São fatos como esses que tiram o crente da presença do Senhor e do altar, pois deixa o mesmo de receber a unção de Deus em potencial, por que pela Bíblia está em desobediência e porque não dizer em pecado, visto que as Escrituras dizem que, “ se ao menos desejar …  ela/ele, já cometeu adultério”.

A sentença é forte e deixa-os nocauteados. Pois não se pode mudar a Bíblia;  ela é sim-sim, não-não, e além do mais “ Jesus é o mesmo, ontem, hoje e eternamente”. Jesus não aliviou nem Ele mesmo, quanto mais…

Querido irmão e irmã em Cristo, não permita que sua fibra moral seja esgarçada e venhas a ser prostrado no deserto desta vida. Deus quer que sejas abençoado e alerta a todos nós: “Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que vos não deixará tentar acima do que podeis; antes, com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar” (1 Co 10.13).

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook