“E, respondendo Jesus, disse-lhes: Digo-vos que, se estes (discípulos) se calarem, as próprias pedras clamarão” (Lucas 19.40).

A igreja de Cristo, em toda a sua existência, jamais ficou em silêncio, mesmo durante a época áurea do comunismo em todo o mundo, principalmente na Rússia.

Durante as grandes perseguições à igreja, nos primeiros séculos, milhares pagaram com suas próprias vidas, por professarem a sua fé no Senhor Jesus, de modo que famílias inteiras foram dizimadas. As mortes dos cristãos foram as mais cruéis já vistas até hoje, mesmo assim, não permaneceram em silêncio, mas pregaram o Evangelho por amor a Deus e obediência a Sua Palavra.

Não se cale, mas pregue o Evangelho de Cristo! Não fique em silêncio, mas pregue a mensagem de salvação. Hoje, a noiva de Cristo, parece trilhar um caminho sem grandes perigos e molestações. Os oponentes, usando a velha tática da boa vizinhança, preferem dizer que são “amigos do evangelho”, do que se levantarem ostensivamente contra o grupo evangélico, ou “protestante” como são chamados os crentes em Jesus Cristo.

O silêncio tem incomodado a própria comunidade cristã. Poucos são os que rompem essa barreira e pregam com ousadia as boas novas de paz. O mundo está morto em seus pecados, “jaz no maligno”, e muitos há que estão em silêncio, evitando proclamar as boas novas de alegria, que se constitui na mensagem salvadora, capaz de levar o homem de um extremo ao outro, proporcionando-lhe paz, felicidade, esperança, alegria, salvação, etc.

Não se cale, mas pregue o Evangelho de Cristo! O silêncio, nesses momentos que antecedem a vinda de Cristo só serve para fazer proliferar as seitas e doutrinas falsas. Satanás tem se aproveitado desse momento sombrio para instalar o seu reino e difundir sua doutrina maléfica.

Não podemos nos calar jamais, devemos pregar o Evangelho a tempo e a fora de tempo, procurando levar o esclarecimento da verdade a todas as criaturas na face da terra.

Meu apelo é para você e eu, juntos, não permanecermos calados. Devemos pregar, ensinar, divulgar os feitos de Cristo e fazermos discípulos, pois é uma ordem de Cristo: “…Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Ensinando-os a guardar todas as cousas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século”. (Mateus 28.18-20).