Devemos nos alegrar ao irmos à casa do Senhor!

“Alegrei-me quando disseram: Vamos à casa do senhor!” (Salmo 122.1).

Tenho a plena convicção de que nos dias de hoje é bem difícil convencer as pessoas para participarem das atividades da igreja no período de segunda a sexta-feira nos templos das igrejas evangélicas; é bem verdade que as motivações seculares priorizam a vida de qualquer membro, ainda que ele seja fiel a Deus.

Alguns crentes se preocupam e pensam em suas vidas espirituais, porém, o mundo globalizado exige que eles lutem pela sobrevivência, por suas famílias, de como alimentá-las, vesti-las e projetá-las para o futuro. Trata-se de uma corrida em busca de objetivos e metas, os quais suplantam àqueles oferecidos pela igreja de Cristo. Estes, quase sempre se baseiam em cultos de libertação, ensino, ensaios de grupos e alguma atividade rotineira promovida pela liderança da comunidade, tais como palestras, chás e reuniões de lideranças.

O culto é uma forma de a pessoa crescer na graça e no conhecimento de Cristo, aprender os passos seguros para se manter firme na fé cristã, na doutrina bíblica dos apóstolos, no verdadeiro Evangelho de Cristo, obter conhecimento das verdades escatológicas e criar um vínculo de comunhão entre as pessoas que professam a mesma fé.

Jesus deixou antes mesmo de subir para o Pai a seguinte ordem aos seus discípulos: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.” (Mateus 28.19,20). Será que estamos nos esforçando para cumprí-la?

Se não houver um esforço grande, por parte de cada um dos membros em comunhão na igreja, para cultuar durante a semana, logo, logo, teremos a sensação de esvaziamento e desinteresse por parte da membresia, o que reflete negativamente na vida dos visitantes e demais congregados.

Os cultos oficiais da Igreja, principalmente, durante a semana, estão cada vez mais vazios, pois, os que podem comparecer e ajudar no crescimento do Reino de Deus, quase sempre não comparecem e acabam se envolvendo com outras atividades secundárias, tudo leva crer que não existe nenhum interesse ou motivação para servir a Jesus Cristo.

Muitas igrejas na Europa e na África, não abrem as suas portas durante a semana, mas somente aos domingos, ou pela manhã ou somente à noite. O resultado disso é que muitos estão fracos e doentes e muitos que dormem. O resultado é a proliferação alarmante do pecado e das desgraças no mundo.

A evangelização precisa ser retomada, a obra missionária necessita de ser reavivada e os crentes despertados para poderem fazer alguma coisa útil para o crescimento do Reino de Deus, antes mesmo de Jesus voltar.

O fogo do espírito e do despertamento precisam ser novamente acesos. O inimigo luta e se esforça para que a igreja do Senhor seja um lugar qualquer de encontro, menos casa de oração, de milagres, curas, libertação e salvação de vidas. Para que sintamos a alegria de ir à casa do Senhor, é preciso tomar medidas impactantes, que possam promover a alegria completa no coração de cada vaso do Senhor, e faça com que o Espírito Santo volte a se manifestar no meio dos crentes em Jesus Cristo.

Cada pessoa crente deve se envolver de corpo, alma e espírito na obra do Senhor Jesus Cristo. Deve sentir amor pelo que faz e sempre grato por aquilo que o Senhor fez por ele na cruz; Para isso é preciso que haja amor, dedicação e força de vontade para servir melhor a Deus.

Hoje, existe uma prática que está se alastrando grandemente no seio das igrejas pentecostais, que é o cancelamento de cultos oficiais e às vezes mudanças de datas para se atender a realização de eventos sociais fora do convívio evangélico, e estes acabam contribuindo para o êxodo das pessoas dos cultos. Conclamo a todos que não deixem de comparecer aos trabalhos de sua igreja e se esforcem para não marcar nenhuma atividades paralela aos dias de cultos.

É tão bom ir à casa do Senhor, que muitas pessoas simples andam léguas a pé para cultuarem a Deus. Na casa de Deus é lugar propício para se ouvir Deus falar, bem como se receber maravilhosas e ricas bênçãos. Uns são curados, outros recebem poder, alegria, exortações benéficas que são capazes de influenciar na decisão de situações vitais para um viver prazeroso e edificante; e mais, a casa do Senhor é lugar de confraternização, de aprendizado e de aprimoramento dos talentos recebidos.

De posse de todas essas informações, pergunto, por que alguns não gostam de ir adorar ao Senhor no Templo durante a semana? É preciso que se faça uma reflexão mais consciente a fim de se achar a verdadeira solução para melhorar a vida espiritual dessas pessoas. Faz-se necessário, nas circunstâncias em que vivemos em meio a lutas e batalhas espirituais constantes em nossas vidas, buscar de maneira sábia a ajuda do Espírito Santo. A ida aos cultos irá proporcionar gozo ao coração, assim como aconteceu com o salmista ao escrever o salmo em lide.

Não podemos ficar limitados apenas aos cultos dominicais ou as festividades, conferências e congressos. A bíblia diz que há muitos fracos e muitos que dormem; é aconselhável que voltemos a ter uma vida mais voltada para Deus, buscar mais ao Senhor enquanto é dia e essa busca deve ser realizada no Templo em comunhão uns com os outros. Este sim é um lugar sagrado, onde o  Espírito de Deus tem se manifestado grandemente. Amém!

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook