Quem sou eu!

“Mas Davi, disse a Saul: quem sou eu, e qual é a minha vida e a família de meu pai em Israel, para vir a ser genro do rei? (1 Samuel 18.18).

O rei Saul em conversa com Davi o filho de Jessé, lhe prometeu a mão de sua filha primogênita chamada Merabe (em hebraico aumento), porém, Davi precisaria ser um dos soldados do Exército de Israel e lutar contra os temidos filisteus.

Davi, ainda não tinha o preparo como soldado, nem as manhas da luta e a experiência da guerra. Ele não tinha a habilidade da luta como seus irmãos que já estavam há algum tempo com Saul e Jônatas. Davi havia matado o melhor guerreiro dos filisteus, e se tornou conhecido, porém, lhe faltava o preparo para enfrentar o inimigo com escudo e espada.

Davi, pelo que se sabe não foi admitido no exército de Saul com funda e pedras. Ele precisou passar por uma escola de guerra. Precisou mostrar que sabia empunhar uma espada e com ela lutar com bravura e habilidade de um bom soldado. Não se tem conhecimento de que Davi voltou a usar a sua funda para guerrear, mas com o tempo ele se tornou um dos mais temido e valoroso homem de guerra.

Quem sou eu! Muitos crentes em Jesus Cristo até hoje falam assim, quando Deus já lhe concedeu a salvação, já lhe proporcionou habilidades na sua Palavra, e lhe abençoou com todas as bênçãos celestiais e lhe corou de dons do Espírito Santo, mas mesmo assim o medo e a depreciação de si próprio ainda se constitui uma marca que tem atrapalhado a sua vida espiritual e o seu ministério recebido do Senhor.

Muitas vezes não somos conhecidos publicamente e muito menos, somos reconhecidos no meio da comunidade evangélica onde congregamos. No primeiro caso, quase sempre nos escondemos e não valorizamos os talentos que Deus tem nos dado e assim não somos intrépidos e ousados para nos tornarmos conhecidos dos outros. Escondemos-nos e enterramos nossos talentos, ou, em muitos casos somos envolvidos numa timidez que não agrada ao Senhor da Seara.

O segundo caso é mais comum e quase sempre os líderes e pastores que presidem estas pessoas evitam que o obreiro, a obreira venham crescer e se tornarem uma ameaça ao seu ministério. O líder não pode pensar assim. Deve oferecer oportunidades e se esforçar para fazer com que seus liderados sejam bons, ótimos obreiros a serviço do Reino de Deus. Quem tem chamada e vocação não tem com que se preocupar, “Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade” (Filipenses 2.13). Não diga mais: Quem sou eu! Como se sentindo diminuído e insignificante… Amém!.

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook