As cidades refúgio e a pessoa de Jesus Cristo 1

“Estas são as cidades que foram designadas para todos os filhos de Israel, e para o estrangeiro que habitasse entre eles, para que se acolhesse a elas todo aquele que por engano matasse alguma pessoa, para que não morresse às mãos do vingador do sangue, até se apresentar diante da congregação.” (Josué 20.9).

Quando Deus mandou Moisés criar as cidades refúgio, um total de seis, atendia ao propósito de acolher as pessoas que acidentalmente matassem uma pessoa sem a intenção, sem o dolo.

Quatro livros da Bíblia citam estas cidades, dai a grande importância delas para Deus. O livro de Êxodo, Números, Deuteronômio e Josué. Foi o próprio Deus que determinou a construção das mesmas, e não alguma invenção da cabeça de Moisés ou outro judeu influente na comunidade judaica. O Senhor mesmo foi quem cuidou dos detalhes de localização de cada uma delas. São elas, Bezer, Ramote, Golã, Quedes, Siquém e Quiriate-Arbá.

Estas cidades refúgios, na tipologia bíblica, funcionam como tipos de Jesus Cristo. Elas representam o refúgio que a igreja tem em seu Salvador. Bezer, significa em hebraico “Fortaleza”. O salmista afirma: “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.” (Salmos 46.1). O profeta Jeremias completa: “Ó Senhor, fortaleza minha, e força minha, e refúgio meu no dia da angústia; a ti virão os gentios desde os fins da terra, e dirão: Nossos pais herdaram só mentiras, e vaidade, em que não havia proveito.” (Jeremias 16.19). Quem está em Cristo se sente seguro e protegido de todo o mal. Assim sendo Jesus é a fortaleza de cada um que crer em Seu nome.

Ramote, situada em Gileade, pertencente a tribo de Gade, significa “Exaltado”. E é isso que Jesus Cristo é e representa para todos os cristãos. Seu nome é sobre todo o nome. Ele é rei dos reis e Senhor dos senhores. Ele deixou a Sua glória, se fez homem e habitou entre nós, sem pecados. Nasceu, cresceu, morreu, mas ressuscitou ao terceiro dia e hoje está à Direita de Deus intercedendo por todos quantos creem no Seu excelso nome.

Que relato maravilhoso fez Paulo aos filipenses sobre a humilhação e exaltação de Cristo: “Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.” (Filipenses 2.6-11). Jesus foi exaltado por Deus Pai.

Situada em Basã, uma terra fértil pertencente a Manasses, ergueu-se Golã, cujo significado é “Gozo” ou “Exilio”. Quando o crente encontra-se triste, angustiado e abatido por algum motivo, precisa se refugiar em Cristo, nossa cidade refúgio Basã. É nEle que o crente encontra gozo. Ele foi para junto do Pai, mas deixou a todos que nEle creem a pessoa do Espírito Santo o nosso Consolador Eterno: “Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito de verdade, que procede do Pai, ele testificará de mim.” (João 15.26).

O Espírito Santo habita entre nós e tem a responsabilidade de convencer o homem do pecado, da justiça e do juízo, bem como preparar a Igreja para se encontrar com o noivo Jesus Cristo. Se você está longe do Consolador, então, é hora de voltar e sentir novamente o gozo do perdão, bastando somente se arrepender dos seus pecados. (continua)

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook