Pastores à beira do esgotamento…! 8 (continuação)

“E dizeis ainda: Eis aqui, que canseira! E o lançastes ao desprezo, diz o Senhor dos Exércitos; vós ofereceis o que foi roubado, e o coxo e o enfermo; assim trazeis a oferta. Aceitaria eu isso de vossa mão? diz o Senhor.” (Malaquias 1.13).

Para evitar o esgotamento ministerial alguns passos precisam ser dados pelo ministro. São vários os fatores que levam ao cansaço na obra de Deus, e vimos algumas, contudo, algumas lições precisam ser tiradas e neste blog não se pode atingir de maneira alguma a eficácia deste assunto. Porém, duas coisas são fundamentais, essenciais e se acham publicadas em vários livros de autoajuda: combater o hábito de trabalhar exaustivamente e ter um ou dois amigos de sua inteira confiança, que sejam íntimos, no bom sentido. Alguém que você possa confiar inteiramente.

No mundo que gira numa velocidade que poucos acompanham é preciso trabalhar com capacidade de poder administrar o tempo, se não, se trabalha demais e poderá acarretar o cansaço e o esgotamento ministerial e espiritual, sem contar com o físico e mental.

É preciso que cada obreiro do Senhor, mantenha o equilíbrio entre a velocidade com que consumimos nossas forças e o tempo que esperamos que elas durem. Saiba que, o homem que mais carrega pedras não é o que morre tentando levar todas em apenas umas poucas caminhadas.

O obreiro precisa adquirir o hábito de descansar adequadamente, pois é um mandamento bíblico. Deus dá o exemplo: “descansou no sétimo dia”, referindo-se a criação. Se Deus descansou, a terra deveria descansar também. Jesus descansou e ensinou aos seus discípulos fazerem o mesmo. Os apóstolos, certamente, descansavam aos sábados e tinham um ritmo de vida mais lento. O ministério de Paulo durou cerca de 18 anos, com muitas viagens e prisões, porém, ele não relaxou neste quesito.

O acúmulo de atividades tende a provocar exaustão, com sérias consequências: incapacidade de concentrar-se, irritabilidade, ansiedade, distração, propensão a acidente, negligência no trabalho, no volante, na igreja; tiques nervosos, alterações no apetite, perturbação do sono, esgotamento (físico, mental e emocional), problemas no desempenho sexual, distúrbios cardíacos, invalidez e até mesmo a morte.

Os evangélicos da denominação Assembleia de Deus não têm o costume de guarda o sábado, mas se observa ao princípio sabático, ou seja, é preciso descansa após algum período, se não seremos alcançados pelo esgotamento. O sábado, diz a Bíblia, foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado (Mateus 2.27), logo, o homem precisa descansar e não trabalhar exaustivamente.

O obreiro não pode, jamais, tentar se convencer de que é tão importante ao ponto de ser insubstituível, trabalhador ao extremo, muito ocupado na obra, de modo a obedecer a Deus. Certo amigo me dizia: “não adianta trabalhar tanto, você morre e a igreja fica!” – pura verdade. Você agindo assim, irá morrer antes da hora e não é o que Deus quer para você. Ele quer que, tão somente você saiba descansar no momento correto. (continua).

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook