“A trajetória eficaz de uma `doula`!”

“Este criara a Hadassa (que é Ester; filha de seu tio), porque não tinha pai nem mãe; e era moça bela de parecer, e formosa à vista e morrendo seu pai e sua mãe, Mardoqueo a tomara por sua filha” (Ester 2.7).

Uma das virtudes mais nobre da mulher para com seu Deus é a de se comportar e viver como uma “Doula”, que quer dizer “Serva”, aquela que obedece e com amor e fidelidade serve ao seu Senhor. Ester foi essa mulher cuja trajetória de vida encanta a todos que leem o livro que leva o seu próprio nome.

Antes de dá início a trajetória de Ester é bom lembrar que o princípio de tudo se deu com uma observação de um dos príncipes dos Medos e Persas por nome Memucã, que ao tomar conhecimento da recusa de Vasti, a rainha de Assuero, Rei dos Medos e Persas disse ao rei e aos demais príncipes, Carsena, Setar, Admata, Tarsis, Heres, e Marsena” Não somente pecou contra o rei a rainha Vasti, mas também contra todos os príncipes e contra todos os povos que há em todas as províncias do rei Assuero” (Et 1.16).

Lendo-se o contexto, percebe-se que o procedimento de insubmissão da rainha poderia ser tomado como exemplo por todas as mulheres daquela época, que se julgavam capazes e dominadoras em todos sentidos da vida social e palaciana.

Memucã redigiu em decreto e o rei assinou: “… Que cada homem fosse Senhor em sua casa; e que isto se publicasse em todos os povos conforme a língua de cada um”. (Et 1.22)

Em meio a tantas proibições para que a mulher não tivesse voz ativa e nem vontade própria, surge Hadassa, fazendo a vontade de Deus e obedecendo ao seu senhor, o rei Assuero, acatando aos conselhos e orientações de Mardoqueo, o que lhe levou a servir fielmente ao Deus de Israel. Foi com oração, jejum e testemunho eficaz que transmitiu a todas as mulheres a confiante lição de humildade e obediência.

Uma trajetória repleta de bênçãos: Primeiro não se sentiu diminuída pelo fato de não ter conhecido aos seus pais; tão pouco a Bíblia fala sobre eles, mas somente que, eles morreram; A “priori”, recebeu ordens expressa de Mardoqueo para que não revelasse sua origem, nem de que povo era descendente, nem filha e nem parente de quem quer que fosse, mas permanecesse calada e aguardando o desfecho e o desenrolar dos fatos (Et 2.10). Ela valorizou e deu graças a Deus por ter sido escolhida para estar naquele palácio como uma das possíveis candidatas ao tão importante cargo de rainha do império no lugar de Vasti, e para isso deveria passar doze meses se preparando para um dia desfilar diante do Rei.

O estágio não era tão simples, seis meses deveria a moça se purificar com óleo e mirra e mais seis meses com especiarias e com coisas para a purificação das mulheres (Et 2.12). Um sacrifício digno de quem quer lutar por uma coroa de brilhante. Assim somos nós, quem deseja a coroa de glória precisa mais que tudo batalhar para se manter puro e em continuada busca pela santificação, sem a qual ninguém verá a Deus.

Ela em sua marcha de vitórias, conseguiu evitar uma emboscada preparada para Assuero, após informação de Mardoqueo; avisou ao rei que dois guardas imperiais, Bigtã e Teres, planejaram matar o rei e sendo o plano descoberto, foram eles executados na forca; foi ela responsável pela derrota do agagita Hamã, que implantou uma luta ferrenha contra o seu povo, os judeus e contra a exaltação de Hamã, ela mediante a oração e o jejum conseguiu reduzi-lo a mais cruel das humilhações que um oficial do rei poderia passar e com isso, salvou o seu povo da morte.

Ela não triunfou pela força, nem pela sua beleza, mas pela sua maneira humilde e reservada em buscar a Deus, sempre com muita disposição para orar e desejo imensurável para jejuar, levando a todo o povo, pela sua liderança a fazer o mesmo; com isso foi vitoriosa e entrou para a história como “Doula” fiel, uma serva digna de ser seguida por todos nós que amamos a Deus. Amém!

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook