“Agora, pois, assim dirás a meu servo, a Davi: Assim diz o Senhor dos Exércitos: Eu te tirei do curral, de detrás das ovelhas, para fosses chefe do meu povo de Israel.” (1 Crônicas 17.7).

Não são poucas as pessoas que se acham aprisionadas por alguma coisa nesta vida. Quando não conseguem se libertar, e entram em estado de depressão, muitas vezes a pressão e a dor são tão grandes que alguns buscam o meio mais rápido e perigoso, o suicídio, ou se enchem de remédios por conta própria, mas não procuram um especialista para ajudá-lo.

Outro dia, num programa de televisão o repórter estava entrevistando várias pessoas sobre o manter ou não um pássaro ou animal preso, enjaulado, como aqueles animais selvagens de zoológico.

Várias foram às pessoas que aceitaram participar do seu trabalho. Ele colocou vendas nos olhos dos participantes e os colocou numa jaula no meio de uma praça. Quando a venda foi tirada dos olhos de cada um, todos tiveram uma reação, ainda mais que as pessoas juntaram-se ali e outros livremente passavam pelo local e contemplavam as pessoas presas na jaula. A experiência para alguns foi deveras angustiante.

Na atual circunstância há cristãos que não conseguem se desvencilhar de alguma coisa que ao longo dos anos o escraviza. Alguns deles, na ânsia de se libertar de vez chegam até a destruir bens materiais, tais como: computador, celular, televisão, rádio, etc., como se eles fossem os principais culpados. Esses tais jamais admitem que são fracos de espírito e fáceis de serem dominados por um vício e que, de fato, precisam de ajuda, de socorro, de alguém que possa lhes ajudar a levar parte da carga pesada as quais eles chamam de cruz.

É preciso que cada crente exerça o controle de sua vida com a ajuda de Cristo. É necessário ter força de vontade e autocontrole de seus atos comportamentais. Alguns há que se libertam dos vícios com mais facilidade do que outros, às vezes pelo simples fato de querer, ter determinação interior e atitude de vencedor, o que chamamo de força de vontade própria.

Há outros que sozinhos não encontram forças para se libertarem sozinhos, então, a ajuda do próximo ou de uma equipe especializada será fundamental para a libertação, que seja do vício ou de algo que esteja aprisionando-o, porém, faz-se necessário querer de fato a ajuda.

Quando essa prisão é no campo espiritual, aumentam sobremaneira as dificuldades para a libertação total, pois ai entra alguns ingredientes vitais: oração, jejum, leitura e meditação da Palavra de Deus e envolvimento com a Obra de Deus.

Você se considera um prisioneiro de alguma coisa? Ou uma pessoa totalmente liberta livre de tudo que possa atrapalhar o bom êxito de sua vida espiritual? Ou existe algo que está lhe tirando o sono e lhe colocando em algum aboiz, a semelhança de um pássaro ou gazela na armadilha?

Jesus uma vez ao entrar na Sinagoga dos judeus viu uma mulher “presa por Satanás” e Ele a libertou. Quando o pecado se faz presente na vida do homem, então, se diz que ele está preso ao pecado, a iniquidade ou mesmo aos prazeres da carne e é por isso que precisa de ajuda para ser liberto.

A libertação do pecado é feita quando, com a sua boca você confessar suas iniquidades diante de Deus Pai. Sair do local da tentação é um bom passo. Liberte-se já dessa aboiz, ou seja, dessa armadilha do Diabo.