“Houve ainda também outra peleja em Gate, onde estava um homem de alta estatura, que tinha em cada mão seis dedos, e em cada pé outros seis, vinte e quatro ao todo, e também este nascera do gigante.” (2 Samuel 21.20).

Na minha juventude conheci um vizinho que tinha um filho que em cada mão tinha seis dedos e em cada pé tinha seis dedos, logo, vinte e quatro dedos ao todo. Todas as crianças mexiam com ele, era uma diversão quando ele aparecia na rua para brincar. Coisa de criança! O gigante de Gate, conforme o texto em lide, também tinha vinte e quatro dedos ao todo.

Geralmente, se conhece que o bebê vai ser grande ou não pelos pés. Se tiver pés pequenos, então, se diz que vai ser pessoa pequena, mas se o pé for grande, então se fala que vai ser bastante alto, assim criam nossos pais que nos passaram estas crendices.

Os pés foram dados conforme o tamanho da pessoa. Não se vê por ai alguém de alta estatura com os pés pequeninos, se isso acontecer, coitado dessa criatura, irá cair por toda a sua vida e a todo instante que estiver caminhando. Na vida espiritual acontece de forma semelhante. Muitos crentes se acham grandes, porém, vivem caindo. Quer deixar de cair? Se envolva com Deus, com a sua Obra e com a Sua Palavra: “Quão formosos são, sobre os montes, os pés do que anuncia as boas novas, que faz ouvir a paz, do que anuncia o bem, que faz ouvir a salvação, do que diz a Sião: O teu Deus reina!” (Isaías 52.7). Esse ano é o ano da evangelização para a nossa igreja e eu conto com você para juntos anunciarmos as Boas Novas do Evangelho da Salvação.

Os pés são próprios para dar estabilidade, firmeza e segurança a pessoa. Aquele que não tem essas qualidades em sua vida, enfrentará dificuldades para caminhar, talvez, seja preciso aprofundar suas raízes para dentro do ribeiro que é Cristo, porque na hora do vendaval estará firme e estável.

Quem assim não procede, não é sábio e ficará sujeito a quedas no mundo espiritual, bastando somente uma pequena provação, luta ou tentação de pequena magnitude para abandonar as suas funções na igreja, sentir-se fastioso, sem querer mais se alimentar da Palavra de Deus, fazer greve de oração, Jejum, tornar-se intemperante, e por fim negligenciar de vez para com a vida devocional e de consagração até se afastar de vez do caminho de Cristo, o da salvação.

Veja o que diz as Escrituras: “Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto.” (Jr 17.8).

Quanto mais profundas forem as raízes de uma árvore, maior estabilidade, e firmeza ela terá para combater os fortes vendavais a que for submetida. “Gente grande do pé pequeno!”, é uma característica daquele que se acha o “tal”. Acha-se forte, robusto na fé e na graça de Cristo, porém, suas raízes não são profundas, não tem maturidade cristã e vez por outra estão caindo no chão, tal como uma flor de jardim.

Tem um hino que diz: “Existe um jardineiro que chora a flor caída no chão…”. Como muitos têm provocado o choro constante do Espírito Santo, porquanto, não se esforçam para terem uma vida melhor e mais abençoada. Estes tais são homens que se julgam grande, porém, dos pés pequenos, pois estão sempre caindo! Que este ano de 2018 seja bom para você e o seu pé cresça na medida da fé e a firmeza no Evangelho seja a sua marca e a Evangelização, que é nossa obrigação (1 Co 9.16), seja bem explorada por você. Amém!