“Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros…” (Hebreus 10.25).

A Bíblia é muito clara quando admoesta aos filhos de Deus quanto ao não deixar o local onde congregam, pois é de fundamental importância a identidade da pessoa com o local onde congrega, não só pela doutrina que recebe, mas também pela maneira como exerce a sua identidade de cristão no mundo.

Quando a Bíblia diz, no verso em lide, para não deixarmos a nossa congregação, esta pressupondo que cada crente em Jesus Cristo deve ter o compromisso com a igreja onde congrega, seja Sede, ou seja, a Congregação. O próprio versículo mostra que tal compromisso resulta em benefício para a pessoa que se congrega. A chave está na expressão “admoestando-nos uns aos outros”. A igreja local propícia as oportunidades para que cada crente seja ajudado e possa ajudar aos demais irmãos;

A igreja, qualquer que seja a denominação, principalmente o pastor dela, com frequência está admoestando seus membros a não deixarem a congregação, mas lutar por ela, pelo seu crescimento, pela sua edificação, zelar por tudo o que a ela pertencer e que adote princípios, os quais irão melhorar e muito a sua saúde espiritual, vejamos alguns deles:

– Ler a Bíblia completa quantas vezes lhes sejam possíveis ao longo da vida, lendo-a todos os dias, tirando para si o alimento necessário à vida espiritual;

– Dedicar, pelo menos, vinte minutos de tempo de cada dia à oração;

– Participar de pelo menos, uma reunião de oração da igreja local a cada semana;

– Participar de pelo menos, uma reunião semanal de estudo bíblico (culto de ensino) da igreja local);

– Participar assiduamente da Escola Bíblica Dominical (EBD) e se possível se matricular no Seminário Teológico caso exista na igreja ou não;

– Participar de pelo menos, um grupo de crescimento espiritual, quer seja Conjunto; Coral, Orquestra, etc.;

– Tomar conta de uma pessoa da igreja, para orar por ela, interceder por sua família e também eleger o pastor e a sua família para por eles orarem, jejuarem e assisti-los, porquanto, eles precisam do amor e carinho da igreja;

– Contribuir, fielmente, para a vida financeira da igreja local, a fim de que nada falte administrativamente falando e também, o pastor poder ajudar à obra missionária.

Adotando esses princípios acima, certamente, seremos muito mais úteis e eficientes instrumentos de Deus como indivíduos e como igreja do Senhor Jesus Cristo.