“Mas o pelicano e a coruja a possuirão, e o bufo e o corvo habitarão nela; e ele estenderá sobre ela o cordel de confusão e nível de vaidade.” (Isaías 34.11).

Deus no capítulo trinta e quatro de Isaías encontra-se deveras aborrecido e pronto para lançar juízo sobre todas as nações, principalmente sobre Edom. O irmão de Jacó Esaú, por ter uma cor avermelhada, recebeu o nome de Edom.

Os edomitas se recusaram a deixar Israel passar por seu território quando eles pretendiam ir para a terra prometida, Canaã. Este povo, foi subjugado por Davi. No Novo Testamento, a cidade de Edom era conhecida como Iduméia (Mc 3.8). Nos tempos primitivos a cidade era chamada de monte de Seir, e era habitada pelos horeus (Gn 14.6 e Dt 2.12).

Tal como o bufo. O que a Bíblia chama de Bufo? O Bufo nada mais é do que uma coruja grande, é o famoso corujão. As corujas são aves solitárias, discretas e tímidas, as quais foram eleitas pela cultura grega como sendo símbolo da sabedoria e que agem durante a noite. Jesus disse certa vez aos seus discípulos: “… não há doze horas no dia? Se alguém andar de déia, não tropeça, porque vê a luz deste mundo. Mas, se andar de noite, tropeça, porque nele não há luz” (João 11.9,10).

Paulo disse aos tessalonicenses: “Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas.” (1 Ts 5.5). Que edificante orientação. Verdadeiramente, os crentes em Jesus Cristo não são da noite, como o Bufo, o corujão o é, porém, somos do dia, e quando estamos de dia é mais difícil tropeçar, porque a luz, que é Cristo nos conduz pelas veredas da salvação.

Caso o amado irmão em Cristo e amigo esteja tal como o Bufo, somente vivendo na noite, em plena treva, então é hora de despertar e voltar a ter vida e viver de dia, onde o sol da justiça brilhará sobre a tua cabeça.