“…porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.” (Gálatas 6.7b).

Glorifico ao Senhor pelo 6º ano em que a ADNB no Riacho Fundo 1, tem se dedicado à evangelização e salvação de vidas, bem como a edificação e enriquecimento espiritual daqueles que ali se congregam e participam ativamente do Corpo de Cristo.

No período de 23 a 25 deste mês a Congregação está em festa. Ela escolheu o tema: Selecionando Sementes, com base no versículo em lide. Ele é bem sugestivo, rico em verdades e ensinamentos bíblicos, pois está presente tanto no Antigo como no Novo Testamentos e está de acordo com a visão evangelística da igreja para este ano, o IDE/2018.

Quem seguir o que está escrito em Gálatas, certamente, estará com seu passaporte em dia para a eternidade, não somente assinado, mas também com o visto em dia para entrar na cidade celestial, onde Cristo é o Rei Eterno. Aleluia!

Existem dois tipos de sementes à luz da Bíblia: a semente do justo e a semente do perverso. A Bíblia diz: “E herdá-la-á a semente de seus servos, e os que amam o seu nome habitarão nela” (Salmos 69.36) – Semente do Justo; “Mas chegai-vos aqui, vós filhos da agoureira, semente de adultério e de prostituição” (Isaías 57.3). Semente do perverso…

A lei da semeadura é imutável, ou seja, o que você planta irá colher com certeza. Paulo ensinou, exortou e admoestou os irmãos na Galácia a fazerem o bem, ou melhor, semear o que é bom a fim de colher coisas boas, edificantes e agradáveis ao Senhor. O apóstolo mostra a importância do princípio da semeadura e da colheita.

Na caminha cristã acontece de maneira semelhante ao que Paulo ensinou: se fizermos coisas boas, então iremos ser agraciados com bênçãos; Se cultivarmos a maldade, então iremos ser alcançados por ela em algum momento.

A boa semente deve ser plantada pela Igreja de Cristo. Quantas sementes deixamos de lançar no solo fértil da Seara, isto porque não amamos a Cristo como deveríamos amar. É preciso que cada crente tenha a coragem de semear o amor, a paz, a bondade, ou seja, praticar com fidelidade o fruto do Espírito: “Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.” (Gálatas 5.22).

Isaque, filho de Abraão semeou a boa semente e colheu bons frutos e o que Deus fez com ele? O abençoou grandemente: “E semeou Isaque naquela mesma terra e colheu, naquele mesmo ano, cem medidas, porque o Senhor o abençoava” (Gn 26.12). (Continua)