“E se alguns dos ramos foram quebrados, e tu, sendo zambujeiro, foste enxertado em lugar deles e feito participante da raiz e da seiva da oliveira, não te glories contra os ramos, e, se contra eles te gloriares, não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz a ti. Dirás, pois: os ramos foram quebrados, pra que eu fosse enxertado” (Romanos 11.17-19).

Em diálogo com certo jovem cristão, lhe perguntei por que ele era tão explosivo e revoltado com tudo e com todos, não fazedor de amigos, mas devido aos seus modos e atitudes grosseiras acabava em afastar as pessoas de si mesmo.

Ele me respondeu que tudo o que acontece com ele é genético e a mesma natureza que o seu pai lhe transmitiu é a que ele usa, ou seja, “eu puxo ao meu pai”, foi essa a resposta que ele me deu.

Pacientemente, lhe disse que, se o homem alcançado pelo amor Deus e tendo experimentado o poder da Salvação mediante o sangue de Cristo, continuar com a mesma natureza e não a do Senhor Jesus, então, o Evangelho pregado por Ele de nada adianta.

Quando o homem aceita a Cristo como Salvador e experimenta o Novo Nascimento, a natureza adâmica, do velho homem, é abandonada e novo homem surge mediante a regeneração pelo Sangue do Cordeiro, as coisas velhas passam e tudo se faz novo na vida dele.

O novo homem em Cristo é transformado pela renovação do entendimento, e começa a experimentar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus, logo, ele é transformado numa nova criatura, nascendo assim da água e do Espírito, adquirindo a natureza do Mestre da Galileia, que é o autor e consumador da fé: “E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm 12.2).

Se a pessoa que aceita a Jesus Cristo como Senhor e Salvador de sua vida continuar com a natureza do seu pai biológico, e isso é puramente genético, então o Evangelho e tudo que o Senhor Jesus pregou deve ser refeito ou repensado ou mesmo jogado fora.

Quando a pessoa é alcançada pelo sangue inocente de Cristo o seu homem interior é alcançado pelo poder de Deus e ele passa a ser uma nova criatura, seus atos, seu caráter, sua natureza e tudo que se relaciona com a vida velha de pecado é deixado para trás, e agora, transformado pelo poder de Deus, o homem segue uma vida de tranquilidade, de harmonia no lar, entre os seus semelhantes e o ódio dá lugar ao amor, a inveja desaparece e o novo homem vive uma vida de piedade e voltada para as coisas que são de cima e não mais as terrenas.

O abacaxi não pode ser transformado em Pêra, porém, sendo você um zambujeiro e enxertado na oliveira, passará a dá frutos bons, azeitonas boas.

Nós fomos ligados em Cristo, logo, a nova natureza é a de Jesus, até o bom cheiro dEle nós o exalamos. Aleluia!