“Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo ao qual escolheu para sua herança” (Salmos 33.12).

É muito maravilhoso conhecer a história de Israel. Um povo escolhido, amado e descoberto por Deus na pessoa do patriarca Abraão.

A aliança de Deus com Abraão permitiu inserir no contexto da história da humanidade um povo que resistiu a escravidão no Egito, as desolações e angústias no deserto, tendo como líder o grande estadista Moisés, as conquistas extraordinárias e intrépidas sob a liderança de Josué e Calebe, ampliando assim as terras que são ocupadas hoje pela nação israelense, o período áureo de Davi e Salomão, onde a cultura e o reconhecimento de Israel como povo especial de Deus foi marcante, para colocar a nação judaica como parte deste mundo criado por Deus.

Foram mais de dois mil anos sem serem reconhecidos como nação. Com o retorno dos judeus ao seu antigo lar, através do movimento sionista, e o crescente desejo de terem uma pátria para educarem seus filhos e adorarem o seu Deus, os judeus acreditaram nas promessas divinas e, em 1947, a Organização das Nações Unidas (ONU), tendo o brasileiro Oswaldo Aranha, como presidente da Assembleia Geral da ONU, anunciou com o coração vibrante a aprovação da Resolução 181, que decretava a criação do mais novo e promissor Estado, o Estado de Israel, para alegria de uns e tristeza daqueles que não amam a Deus.

Ninguém acredita de fato, como em 70 anos Israel, em meio as dificuldades e tendo que administrar grande parte de terras desérticas, tem se tornado numa das mais poderosas nações do mundo. Israel não deve nada a ninguém. Israel tem de tudo e hoje é uma nação com poder bélico moderno e desfruta de uma avançada tecnologia, a qual exporta para muitos países. É algo fantástico. Somente Deus poderia preservar este abençoado povo.

A Igreja Evangélica Assembleia de Deus do Novo Milênio, oferece o culto de hoje, como culto de ações de graças pelos 70 anos de vitórias do povo judeu. Parabéns Israel por ter sido persistentes e crido nas promessas do Eterno.

Enquanto houver fôlego, estaremos orando pela paz em Jerusalém. Feliz é a nação de Israel, cujo Deus é o Senhor. Amém!