“Tira da prata as escórias, e sairá vaso para o fundidor; Tira o ímpio da presença do rei, e o seu trono se firmará na justiça.” (Provérbios 25.4,5).

Tai uma coisa difícil. Como fazer para um reino, um governo, uma empresa qualquer, ser o “filé mignon”, o “supra sumo”, a “lisura”, a “transparência” em termos de padrões éticos, e dizer não a tudo que se relaciona com a corrupção, a mentira e a podridão do pecado?

Não é nada fácil, no mundo em que vivemos, esperar que as “escórias” sejam retiradas totalmente da prata, e tenhamos vasos valorosos, valiosos e íntegros nas instituições, que outrora, foram tão bem avaliadas pela sociedade como sendo fidedignas e integras em suas maneiras éticas de comportamento e de produção. Onde, seus trabalhadores e funcionários primavam por uma carreira exemplar, longe de qualquer suspeita ou coisas escusas, cujo comportamento e a moral sempre estavam em alta.

A passagem de provérbios mostra claramente como os valores da pessoa, incluindo aí o seu caráter e a sua integridade moral e ética está submetida a padrões de altíssimo nível, bastando tão somente retirar o corrupto, o devasso, o ímpio do meio político, empresarial, governamental, eclesiástico, etc; para que tudo volte a normalidade, a perfeição e ao bem-estar.

O apóstolo Paulo, sempre foi contra as pessoas usarem a máscara da mentira, mas elas devem se apresentar diante do outro com a cara descoberta: “Mas todos nós, com cara descoberta, refletindo como um espelho, a glória de Deus.” (2 Coríntios 3.18). Esse é o princípio bíblico, não tendo nada a esconder, mas ser como uma carta para ser lida por todos.

Separa a escória da prata somente com uma temperatura altíssima. E quem é que suporta uma pressão tão grande? Um calor que o faça derreter como a prata?  A escória representa o erro, a corrupção, o pecado, a inveja, a murmuração, o ódio, a soberba da vida, enfim, tudo aquilo que entristece ao Espírito Santo de Deus. Que traz malefício ao semelhante e prejudica a sociedade como um todo.

Quando Deus chama o homem e lhe dá a salvação e o Seu Santo Espírito, Ele espera que esse homem viva em santificação, e como um vaso de outro, provado e aprovado, venha a se constituir na luz e no sal que o mundo necessita para obter a salvação.

Faz-se necessário que cada um possua o seu vaso em santificação e honra, mesmo estando rodeado de tão grande nuvem de testemunhas, e tendo deixado todo o embaraço e, toda a sorte de pecado, o qual bem de perto nos rodeia e prejudica nossa vida espiritual e também material.

Seja um vaso limpo, deixe Deus tirar as escórias de sua vida. Para tanto faz-se necessário você entregar o seu caminho ao Senhor e confiar nEle. Amém!