“Porque foste a fortaleza do pobre, e a fortaleza do necessitado, na sua angústia; refúgio contra a tempestade, e sombra contra o calor; porque o sopro dos opressores é como a tempestade contra o muro.” (Isaías 25.4)

É muito gratificante para o homem saber que Deus é a sua fortaleza, sendo ele necessitado ou não. Quando alguém está em apuros ou mesmo com o coração angustiado, geralmente, busca ajuda em Deus. Quando a motivação de sua crise é na área espiritual, então, o abatimento espiritual é muito maior do que se a causa for movida por uma perda material.

Deus é de certa forma o refúgio para o homem que esteja atravessando por alguma crise, o que o profeta Isaías chama de tempestade. Quantas vidas estão passando por momentos de dificuldades, tanto nos seus relacionamentos conjugais, familiares, sociais e, eclesiasticamente falando. Pastores e obreiros de um modo geral tristes com seus líderes, e muitas vezes por motivos fúteis, onde, somente o pedido de desculpas resolveria a questão; outros imbróglios já necessitam de um concerto maior, talvez o pedido de perdão seja a solução para o mal-entendido.

Não são poucas e raras as tempestades que se levantam na vida daqueles que temem ao Senhor. Vendavais esses que assolam todos os contextos da vida cristã, de modo que, se a pessoa não estiver firme na fé e seja devidamente convertido, certamente, cairá e demorará a se levantar do tombo, mesmo que as altas ondas e o vento forte cessem em sua vida.

O profeta Isaías dá o veredito final para aqueles que conseguem triunfar nos momentos de calor insuportável, ou seja, de lutas e tribulações da vida: “E naquele dia se dirá: Eis que este é o nosso Deus, a quem aguardávamos, e ele nos salvará; este é o Senhor, a quem aguardávamos; na sua salvação gozaremos e nos alegraremos.” (Isaías 25.9). A presença marcante do salvador, que além de salvar encherá o coração de gozo e alegria completa.

Vale a pena servir ao Senhor. Vale a pena confiar e crer em seu santo nome. O Senhor meu querido irmão e amigo é o seu refúgio.