“Então disse Elias ao povo: Só eu fiquei dos profetas do Senhor, e os profetas de Baal são quatrocentos e cinquenta homens” (1 Reis 18.22).

Muitas vezes, em nossa jornada da vida, imaginamos coisas que não são verdadeiras. Algumas delas porque achamos que é conforme a nossa imaginação ou pensamento, ou mesmo por pura ignorância. Elias na realidade não sabia que Deus havia poupado parte de seus profetas; o tisbita, não falou uma inverdade, simplesmente faltou-lhe a informação precisa.

Elias, não sabia o que havia ocorrido com o livramento de seus companheiros de ministério. O Senhor não lhe havia revelado absolutamente nada com respeito aos profetas de Israel perseguidos e mortos por Jezabel, mulher de Acabe, rei de Israel, todavia, Deus levantara a Obadias, servo do rei para livrar cem profetas da morte, escondendo-os em uma caverna e os alimentando com pão e água somente.

Só eu fiquei! Só eu tenho condições de realizar! Só eu é que consigo fazer! Faço, realizo e sou capaz. Frases como estas são proferidas com frequência no meio evangélico, pois existem algumas pessoas que não reconhecem jamais a potencialidade,  e a capacidade de outros servos e servas cooperadores na obra de Deus.

É muito triste pensarmos que, em pleno século XXI, ainda existam pessoas que não conseguem trabalhar para Deus, unidas com outras, e nem confiam no trabalho, no serviço e nas possíveis realizações por parte de outros companheiros e companheiras.

É preciso confiar mais nas pessoas que conosco poderão somar, produzir e idealizar. Alguns são capazes e como são capazes para realizar algo, porém, como são desprezados e colocados de lado, então, acabam não fazendo nada para o Senhor. Tratan-se dos eternos desanimados, frios e sem expediente para a obra de Deus na visão desses servos autossuficientes e autoconfiantes.

Só eu fiquei! Essa foi a frase do profeta Elias ao povo, mas o Senhor tratou logo de desfazer o seu pensamento, quando Elias se encontrou com Obadias e descobriu a verdade sobre o grupo de profetas.

Deus não se alegra quando somos possessivos e autoconfiantes. Precisamos depender mais do Senhor e confiar nas pessoas que estão ao nosso lado para, juntos, realizarmos uma grande obra para Deus.