“Porque não é aprovado quem a si mesmo se louva, mas, sim, aquele a quem o Senhor louva.” (2 Coríntios 10.18).

Esta frase ouvi outro dia na programação na rádio de maior audiência do país, a rádio que toca notícias. A apresentadora disse: “Saiu hoje a relação dos aprovados no concurso da Faculdade tal…” – E de fato muitos foram aprovados e outros não conseguiram a pontuação necessária e choraram, pois, passaram horas estudando e não alcançaram êxito em seus objetivos.

A Bíblia é bem clara quando diz que só será aprovado diante de Deus aquele que não é presunçoso, nem soberbo, ou seja, que procura louvar a si mesmo, não respeitando a intervenção do Espírito Santo, mas, se achando o tal, o “bam-bam”.

Paulo foi um apóstolo muito sincero para consigo mesmo. Ele disse em sua carta aos romanos: “Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço.” (Romanos 7.15). É assim que acontece na prática da caminhada cristã. Quantas vezes pensamos que estamos abafando, fazendo o melhor para o Senhor, e na verdade estamos é sendo reprovado por Ele, pois, fazemos por vista e não por amor aquele que na cruz morreu por nós.

É muito bom quando a instrução contida na Palavra de Deus é capaz de moldar a nossa conduta e nos admoestando a fim de permanecermos firmes no caminho da verdade. É muito gratificante quando ao observarmos essas instruções para as torná-las práticas em nossas vidas, somos capazes de aprovar as coisas excelentes da trajetória cristã, de modo a não se envolver com coisas supérfluas e que contamina a alma. Paulo dizia: “E sabes a sua vontade e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído por lei.” (Romanos 2.18).

Quem é que aprova o crente? É claro que é aquele que o alistou para a batalha: Jesus Cristo: “Mas, como fomos aprovados de Deus para que o evangelho nos fosse confiado, assim falamos, não como para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações.” (1 Tessalonicenses 2.4).

A aprovação do cristão tem como base a sinceridade e o bom testemunho a fim de não escandalizar o evangelho e nem o nome de Cristo: “Para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros, e sem escândalo algum até ao dia de Cristo.” (Filipenses 1.10). Se você quiser ter êxito na tua caminhada de fé, então, procure com diligência ser aprovado por Deus: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.” (2 Timóteo 2.15).

A Bíblia nos ordena a fazermos o bem, para que possamos ser aprovados por Deus: “Ora, eu rogo a Deus que não façais mal algum, não para que sejamos achados aprovados, mas para que vós façais o bem, embora nós sejamos como reprovados.” (2 Coríntios 13.7). Aqui está o segredo do homem temente a Deus, que luta pela sua salvação, que almeja o céu e um dia se encontrar com Cristo Jesus na glória.

Saiu a relação dos aprovados… E é bom que você esteja nessa listagem. É preciso que a nossa alegria seja por estarmos nessa listagem, ou seja, escritos no livro da vida do Cordeiro. Não fique de fora desta listagem. Em breve ela será fechada.