“Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus.” (1 Coríntios 3.9).

É muito bom ser um cooperador na obra do Senhor. Quem se considera um dos tais, só tem a lucrar, não somente na área material, mas também nas demais, inclusive na espiritual.

Deus necessita sim de cooperadores para que o Reino de Cristo possa crescer, se multiplicar e alcançar as vidas perdidas, dando-lhe salvação. Vidas que estão longe de Deus, sem paz, sem fé e sem amor. Deus precisa sim de homens e mulheres que estejam dispostos a pagarem um preço por amor do unigênito do Pai, Jesus. Ele na cruz do Calvário abriu caminho para eu e você sermos cooperadores de Cristo, então, vamos juntos realizarmos uma grande obra para Ele.

Se verdadeiramente somos cooperadores do Senhor, então é preciso que o Espírito Santo atue em nossas vidas: orientando-nos, usando-nos, ungindo-nos e despertando-nos para o exercício da fé. É muito triste quando alguém diz que tem Cristo, que o aceitou como Senhor e Salvador e encontra-se prostrado e sem nenhum interesse de ser tremendamente vaso nas mãos do Espírito Santo. Vive na inércia espiritual, nada faz para o progresso do Reino de Cristo.

Considero um grande privilégio ser convidado pelo Senhor para ser um cooperador dEle aqui na terra. A obra dEle sofre muito hoje em dia. O sofrimento não é porque temos poucos obreiros e a Seara é grande. Ela atravessa dificuldades porque a Seara é grande e o número de obreiros é muito maior do que ela, porém, poucos são os cooperadores. Há um desânimo tão grande nos crentes de hoje, que às vezes fico perguntando a mim mesmo: Senhor o que está acontecendo com a vivacidade, a alegria, a disposição e o ânimo do teu povo? Senhor, por que tudo isso está acontecendo? Senhor me ajuda a motivar o Teu povo, os Teus filhos. Só quero isso, Senhor! Motivá-los para que eles sejam cooperadores de Cristo.

Quem disse que Deus não necessita de cooperador? Tudo na obra de Deus é realizado com muito sacrifício. Deus sabe muito bem que temos as nossas obrigações seculares, de onde tiramos o sustento para viver, porém, é diante de lutas e provações que conseguimos algum tempo para Deus. Ele sabe muito bem do seu e do meu esforço para fazermos com que o Reino de Jesus cresça. Seu galardão e o meu está garantido!

Paulo, o apóstolo dos gentios diz: “Regozijo-me agora no que padeço por vós, e na minha carne cumpro o resto das aflições de Cristo, pelo seu corpo, que é a igreja.” (Colossenses 1.24). O mais importante disso tudo é que cooperamos para a salvação de vidas. O mesmo apóstolo escreve aos romanos um texto magnífico que diz: “E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz à paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios.” Romanos 5.3-6).

O esforço e o sacrifício de Paulo transforma-se em gozo e em profunda alegria: “Grande é a ousadia da minha fala para convosco, e grande a minha jactância a respeito de vós; estou cheio de consolação; transbordo de gozo em todas as nossas tribulações.” (2 coríntios 7.4). Que eu e você sintamos o mesmo. Deus está sempre pronto para nos ajudar a realizarmos a Sua obra; a cooperarmos com Ele: “Por isso também rogamos sempre por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação, e cumpra todo o desejo da sua bondade, e a obra da fé com poder; Para que o nome de nosso Senhor Jesus Cristo seja em vós glorificado, e vós nele, segundo a graça de nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo.” (2 Tessalonicenses 1.11-12).

Por tudo que está escrito em lido, afirmo: Quem disse que Deus não necessita de cooperadores?