“Porque este meu filho estava morto e reviveu, tinha se perdido e foi achado. E começaram a alegrar-se” (Lucas 15.24).

Nesta minha pouca experiência de vida, já li vários livros e artigos sobre a felicidade. Existem alguns escritores que apresentam fórmulas capazes de proporcionar mudanças no estado de espírito; segundo eles, somente àqueles que se orientam por elas é que alcançam a verdadeira felicidade.

O “pai” da psicologia positiva, o americano Martin Sligman ao falar do caminho para encontrar a felicidade ele vê alguns obstáculos os quais ele apelidou de “desamparo aprendido” e “pessimismo aprendido”. Estes, surgem quando se esgotam os esforços humanos para se alcançar os objetivos e os sonhos de nossas vidas. Quando nossas esperanças se enfraquecem, ou seja, nossos esforços desvanecem para tornar esses ideais em realidade, então, frustra-se o homem interior e, o gozo da alma, fica mais distante de ser uma realidade, vindo consequentemente a sensação de incapacidade e intranquilidade no estado psicológico do ser.

Para o homem ser feliz, o renomado psicólogo, receita o chamado “otimismo flexível” deixando de lado todo e qualquer tipo de pessimismo. Segundo ele, o homem deve promover as condições que favorecem um otimismo, cercando-se de pessoas que lhe forneçam apoio e suporte, completando com alguns fundamentos tais como: necessidade de contato e ligação com outras pessoas, um senso de autonomia, necessidade de auto-estima, um senso de competência, um senso de propósito, ligação funcional com o próprio corpo, conexão com a natureza e animais e espiritualidade.

O texto de Lucas 15 diz que a família começou a se alegrar, a ter de volta a felicidade, por que? Porque o perdão foi evidenciado. O filho que estava distante e em grande aflição de espírito e necessidades em todas as áreas de sua vida, retornou ao lar e pediu perdão a Deus e ao seu pai e a partir dai foi reaceito como membro da família. A alegria proporcionada pelo perdão é a que eu chamo de verdadeira alegria. O perdão devolve ao coração a paz de espírito. O perdão deixa você feliz. Libere o perdão a alguém que está triste com você. Procure se reconciliar com alguma pessoa que você deixou infeliz, tristonha e cheia de ressentimentos. Use o perdão para você alcançar a felicidade. O grande líder negro Norte Americano disse certa vez: “O perdão é um catalisador que cria a ambiência necessária para uma nova partida, para um reinício” (Martin Luther King Jr.).

O que proporciona a felicidade? Thomas Jefferson disse: “Não são as riquezas nem o esplendor, e sim a tranquilidade e o trabalho, os que proporcionam a felicidade”. Aleluia!