“O furor é cruel e a ira impetuosa, mas quem poderá enfrentar a inveja?” (Provérbios 27.4).

Todo ser humano diariamente é submetido a provações por parte de Deus. Os que estão em Cristo as percebem com mais frequência, e de acordo com a sua comunhão com o Espírito Santo é capaz de saber distinguir a provação da tentação.

Deus não tenta ninguém, mas prova. Já Satanás é o autor da tentação. As três coisas que deixam o homem triste é o furor, a ira e a inveja. Esta última então a Bíblia diz que é a podridão dos ossos: “O sentimento sadio é vida para o corpo, mas a inveja é podridão para os ossos.” (Pv 14.30).

O furor tem como sinônimo a fúria, a violência. O que se percebe, assiste e contempla a todo instante é que a violência tem estado presente na sociedade e ela tem começado muito cedo, já na adolescência e em quase 95% dos casos é causada por adolescentes cujos lares foram desestruturados e a família muito cedo foi desfeita. O furor é cruel.

A ira nada mais é do que uma irritação, um ataque de fúria, de indignação, raiva e profundo rancor. Não somente o furor como a ira podem levar o homem a cometer sérios delitos, que são pecados e iniquidades. A ira é impetuosa, como as ondas que destroem os píer, afundam navios e não respeitam obstáculos.

Dentre os três a inveja ainda é o mais temido pelo homem, pois quem a poderá enfrentar? A inveja é uma das armas mais poderosas da maldade utilizadas por Satanás e seu exército de anjos maus. A inveja é capaz de mover os corações impiedosos contra os filhos de Deus: “Mas os judeus desobedientes, movidos de inveja, tomaram consigo alguns homens perversos, dentre os vadios e, ajuntando o povo, alvoroçaram a cidade, e assaltando a casa de Jasom, procuravam trazê-los para junto do povo.” (Atos 17.5). Contra a inveja, somente o amor de Deus, em grandes proporções, no coração do homem.

A inveja dos judeus provocaram a morte de Cristo. Paulo e Silas foram duramente castigados porque a inveja dos judeus e dos ímpios de Filipos foi grande. Estevão foi apedrejado por a liderança judaica sentia inveja do seu conhecimento de Deus e porque Estevão falava a verdade e citava as Escrituras quando pregava.

A inveja é ninguém pode enfrentar. Ela faz parte das obras da carne: “Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.” (Gl 5.21).

Saiba querido leitor e irmão em Cristo, a inveja, é demoníaca: “Mas, se tendes amarga inveja, e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade. Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica. Porque onde há inveja e espírito faccioso aí há perturbação e toda a obra perversa.” (Tiago 3.14-16).