“Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustêm-me com um espírito voluntário” (Salmos 51.12).

O salmista Davi estava num estágio bem inferior a outros pelos quais passara, ou seja, seu estado espiritual não era dos melhores e ele clamava por misericórdia e confessava com a alma angustiada o seu pecado diante de Deus.

Davi na verdade desejava voltar ao seu estado espiritual normal: “Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado” (Sl 51.2). Isso eu chamo de resiliência espiritual.

A resiliência acontece quando a pessoa deseja voltar ao seu estado normal, de sã consciência. A resiliência pode ser em várias áreas. Na vida espiritual, é voltar a ter uma vida de comunhão, de consagração e evidenciar a alegria da salvação, tão importante para a vivificação da alma.

A resiliência pode se dá em várias áreas, na psicológica, na administração, na física, na ecologia, e eu a encaixo também, na espiritual, que muito se confunde com a psicológica.

Em Lucas 15 lemos a história de um jovem que tinha uma vida normal em família e de uma hora para outra saiu de casa levando a parte que lhe era devida na herança. Em pouco tempo gastou tudo e passou a viver em grandes dificuldades. Depois de muito sofrer e passar necessidades lembrou-se que um dia o convívio familiar era bom e ele não sabia, e resolveu voltar, porém, colocou no seu coração pedir perdão a Deus e a seu pai e assim o fez.

O moço da parábola de Jesus, relatada em Lucas, voltou ao seu estado normal, em todos os aspectos de sua vida, porém, isso só aconteceu depois que ele se arrependeu e isso é o que eu chamo de resiliência espiritual.

Com Davi aconteceu a mesma coisa. O experiente monarca de Israel encontrava-se em iniquidade. Ele mesmo relata: “Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que gozem os ossos que tu quebraste. Esconde a tua face dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades” (Sl 51.8,9).

O estado de resiliência espiritual começa a acontecer, justamente, quando ele diante de Deus faz a seguinte oração: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto” (Sl 51.10). Ou melhor, Davi só queria voltar ao estado normal de santificação, de pureza e firmeza espiritual. Ele queria voltar a ter comunhão consigo mesmo e com o Senhor seu Deus. Ele queria voltar a ter alegria da salvação: “Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustêm-me com um espírito voluntário” (Sl 51.12). Deus usou de misericórdia para com Davi, Seu servo, o qual Ele um dia chamou de “Homem segundo o Meu coração”.

Deus quer fazer de igual maneira com você. É bem verdade que você saiu de seu estado normal em relação às coisas de Deus. Não comparece mais assiduamente aos cultos de sua igreja, não leva mais a família para cultuar ao Senhor regularmente, abandonou a Escola Bíblica Dominical, deixou as suas funções na igreja, afastou-se de suas responsabilidades para com a pregação do Evangelho, não ler mais a Bíblia como antes e nem se quer nela medita e por fim não é mais fiel ao Senhor nos dízimos e ofertas. Então, isso é normal ou anormal para um cristão?

O estado de resiliência espiritual é voltar ao primeiro amor. Se arrepender diante de Deus e voltar a produzir frutos e testemunhar com amor do Evangelho de Cristo as pessoas necessitadas. Volte ao seu estado natural. Se a situação estiver crítica e fora do comum, então, se arrependa de verdade e faça um propósito com Deus de voltar a ser aquele vaso que o Espírito Santo sente prazer em usar.