“Honra o Senhor com a tua fazenda, e com as primícias de toda a tua renda” (Provérbios 3.9).

A economia espiritual é quando sabemos administrar bem os bens recebidos do Senhor Jesus Cristo, ou melhor, como verdadeiros mordomos dos bens adquiridos fazendo com que eles possam ser utilizados com sabedoria e também serem úteis em seus propósitos e objetivos, de modo a abençoar vidas.

Outro dia liguei o rádio e uma senhora falou em línguas quase 15 minutos, sem interpretação e sem objetivo nenhum. Gastou o seu tempo, quem ouviu não entendeu nada, em fim, um dom que lhe foi dado e que não está sendo bem aproveitado em prol da edificação espiritual de outros. Não é sábio o que assim procede. É jogar fora a oportunidade de saber usar bem o dom dado por Deus, e com isso a pessoa não economiza na área espiritual e, por conseguinte, ainda serve de escárnio por parte de muitos evangélicos.

A mordomia cristã significa colocarmos os nossos bens recebidos do Espírito Santo, no altar de Cristo e, consequentemente, saber como alegrar ao Senhor no uso de cada dom recebido.

Quando coloco minha oferta, meu dízimo e todas as primícias no altar do Rei da Glória, certamente, minha vida será coroada de ricas e gloriosas bênçãos.

Quando entrego ao Senhor o que não me pertence, e é bom lembrar que Deus não exige os 90% dos meus bens, mas somente 10%, deixando-me administrar o restante, então é motivo de alegria. Muitos parecem viver somente com 10%, os noventa desaparecem e a pessoa só vive em dificuldades. Parece que seus bolsos andam sempre furados. Quando o cristão aprende que dez é de Deus, os noventa restantes multiplicam-se. Faça prova de Deus!

A verdadeira economia espiritual está baseada na utilização correta, do uso correto de todos os dons constantes na Palavra de Deus, bem como, da entrega voluntária das ofertas, ofertas alçadas e do dízimo que não nos pertence. Não deixe de honra ao Senhor com tua fazenda, teus bens, tuas ofertas. Deus te abençoe!