“Tu és toda formosa, amiga minha, e em ti não há mancha” (Cantares 4.7)

Vez por outra os jornais divulgam algum derramamento de óleo ou petróleo em alguma parte do mundo.

Na Baia de Guanabara com frequência algum navio mercante deixa escapar óleo, o qual se espalha por várias praias do litoral carioca e acaba ameaçando a fauna e a flora, além de poluir grandemente a Baia. A mancha, qualquer que seja, é sempre mal vista, causa prejuízos tremendos e geralmente não é removível com facilidade. Quando esses vazamentos acontecem as aves e os peixes são os mais prejudicados, bem como os seres vivos que dependem dos manguezais.

A nossa vida também pode ser alvo de manchas indesejáveis. A palavra descrita em Cantares refere-se à igreja de Cristo, a noiva imaculada do Cordeiro. A igreja não pode se contaminar, nem tão pouco manchar suas vestes brancas (Ap 3.5), visto que estamos à espera do noivo Jesus Cristo. Ele nos exorta a vigiar e guardar os vestidos para que não andemos nu e não se vejam as nossas vergonhas (Ap 16.15).

O maior responsável pelas manchas da alma humana é sem dúvida o pecado; ele diminui a nossa força de vontade ao ponto de não o podermos mais fazer o que sabemos e o que devemos fazer, ao ponto de sermos totalmente dominados por ele. Todo aquele que comete pecado é servo do pecado (João 8.34). Paulo referindo-se a ele diz: “… o que quero isso eu não faço, mas o que aborreço isso faço… e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem” (Rm 7.14,15,18).

Queridos em Cristo, o Sangue de Cristo é o único antídoto contra as manchas da alma. O Senhor Deus diz: “… ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam, vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã” (Isaías 1.18).

Para que a mancha seja contida e você tenha vitórias incontáveis procure observar o contido na passagem de Josué 23.6-16, ou seja, procure guardar o que está escrito nas Escrituras; os que guardam a Palavra recebem a promessa de que o Senhor os livrará da hora da tentação, procure de maneira sábia fazer o que está escrito; e se esforce para se aproximar do Senhor, pois só assim encontraremos forças para fazer o que Deus estabeleceu em sua Palavra.

Por fim faz-se necessário amar de verdade ao Senhor Jesus. Temos que amar para obedecer, amar para seguir e amar para esperar: “Se alguém não ama ao Senhor Jesus, seja anátema; maranata” (1 Co 16.21). Cristo é o único que nos satisfaz, logo, precisamos amá-lo e reverenciá-lo. Ele voltará brevemente e levará para si um povo escolhido, sem mancha, irrepreensível e que o ame de verdade.