“Converte-nos, Senhor, a ti, e nós nos converteremos: renova os nossos dias como dantes” (Lm 5.21).

Não é de agora que se tem falado que os dias são extremamente difíceis e que os tempos modernos são deveras complicados. Não somente porque a Conjuntura política mundial ou Nacional está mal das pernas ou mesmo de cama, mas porque o amor entre as pessoas está cada vez mais diminuindo e por se multiplicar a iniquidade, a Bíblia diz que o amor de muitos se esfriará.

Estamos vivendo dias difíceis realmente, porém a igreja de Cristo está nesse contexto, e o Senhor, o noivo da igreja está atento a tudo e a todos quantos amam a Sua pessoa e a Sua Palavra. Dias complicados, que vão desde as manifestações de ruas, na frente dos quartéis da polícia e as operações frequentes para prender e conduzir pessoas a depor coercitivamente falando.

As operações policiais não param e a igreja assiste tudo isso, e o que podemos fazer? Somente orar, porquanto os dias são difíceis e os tempos complicados.

Não podemos deixar de enxergar o movimento da globalização e da secularização por esse mundo gigante. As indústrias dos remédios estão cada vez mais faturando e as fraudes aumentam em todos os cantos desse Brasil, de modo que não podemos mais pensar em honestidade, por parte de muitas instituições que até poucos anos atrás eram de extrema confiança e de inteira credibilidade por parte da sociedade.

Outro dia ouvi e vi pela TV, numa sabatina a um candidato a uma vaga no Supremo Tribunal Federal, um Senador dizer que, quando alguns passam por ali, “vendem até a mãe”, para obterem a vaga no STF, mas depois não honram suas palavras no plenário da casa (Senado Federal). E ainda mandou pesquisar na internet a cerca do que o povo diz a respeito do tão importante Órgão Federal.

É na verdade um descrédito a uma das instituições mais sérias de nosso país, e não é somente ela, muitas outras também caíram na vala comum por não se manterem íntegras em seus compromissos e missão.

A secularização tem sido responsável pela grande avalanche de problemas no contexto social, com reflexos no espiritual. O consumismo, oriundo da vida globalizada e oprimida pelo capitalismo, tem contribuído para piorar, ainda mais, a situação de muitos no campo financeiro, afetando, de forma direta, o estado de espírito de cada brasileiro, principalmente a rede hospitalar, onde alguns morrem todos os dias por falta de atendimento, de leitos, de UTI, de remédios e de cuidados nos momentos delicados de suas cirurgias.

Nesses momentos de intensas variações na vida de cada cristão, faz-se necessário a busca constante da renovação espiritual e do apego as coisas divinas e ao próprio Jesus Cristo. Deste, não podemos abrir mão, pois é o único que ainda pode fazer alguma coisa pelo necessitado e aflito de alma.

Como disse em lide, a renovação do espírito, é importante nesses momentos de crise, porque ela será capaz de manter acesa a chama do fogo do Espírito Santo dentro de cada coração temente a Deus e preservar diligentemente os princípios da ética cristã, marca registrada de cada salvo em Cristo Jesus. A renovação espiritual faz o crente andar na verdade e abominar a mentira. Ela torna o matrimônio mais estável, ajuda-nos a conservar os padrões bíblicos, a preservar os valores com relação à sexualidade e à pureza cristã, promovendo maior aproximação do bem e nos fazendo fugir da aparência do mal. Ela nos ajuda a compreender melhor a missão da Igreja e do Estado e promove confiança, para que possamos assumir responsabilidades e desenvolver com amor as atividades sociais. A renovação faz com que vençamos as batalhas espirituais e vivamos íntima e permanentemente em comunhão com Deus. Ela dá esforço ao cansado, multiplicando as forças daqueles que não têm nenhum vigor (Isaías 40.29). Precisamos, urgentemente, de renovação, tanto no entendimento (Romanos 12.2), no sentimento (2 Coríntios 4.16, I Pedro 3.8-9), como no Espírito Santo (Atos 4.4 e 8), pois os dias são difíceis e os tempos complicados!