“E junto à cruz de Jesus estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Clopas, e Maria Madalena.” (João 19.25).

A cruz do Calvário, a multidão eufórica que seguiu Jesus até ser pregado no madeiro, as lágrimas dos seus fiéis discípulos, os xingamentos por parte dos algozes adversários de Cristo, e as blasfêmias por parte dos sacerdotes e anciãos judaicos, os fariseus e saduceus, não afastaram Maria, mãe de Jesus e esposa de José, nem a tia de Jesus, irmã de Maria, casada com Clopas, ou Cléopas, cujo nome também era Maria, como tão bem mencionou o evangelista João em seu evangelho.

Mãe, é sinônimo de amor, de ternura, de felicidade, de cuidado, de choro, de intercessão e preocupação pelos filhos, mesmo quando eles formam outra família, o vínculo de amor continua em seu coração. Mãe é isso que Maria fez. Mesmo sabendo que seu filho seria pendurado num madeiro e que iria chorar quando os pregos fossem fincados em suas mãos e pés, ela não se abalou, mas teve coragem para contemplar seu filho amado, seu Senhor e Salvador.

Seu cântico, quando ainda em seu ventre se agitava Jesus, ela disse: “…A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, porque atentou na humildade de sua serva; pois, eis que, desde agora, todas as gerações me chamarão bem-aventurada. Porque me fez grandes coisas o Poderoso, e Santo é o seu nome. E a sua misericórdia é de geração em geração sobre os que o temem…” (Lucas 1.46-50). Mãe, é isso, é lutar ao lado do filho, sofrer quando for preciso, sentir

as dores (mesmo tendo ele, uma coroa de espinhos, penetrado em sua cabeça), quando ele adoece, e, alegrar-se com ele, quando os tempos forem de felicidade e perfeita saúde.

Maria não contemplava na cruz somente o seu filho, mas seu Senhor e Salvador. Ela tinha a plena consciência de que aquela morte horrenda de Jesus, traria salvação, não somente para ela e sua irmã que estavam ali, junto com Maria Madalena, mas para toda a humanidade que cresse no nome de Jesus.

Hoje, comemora-se o dia das mães. Há pouco tempo, a minha foi para a glória, aguardar o arrebatamento da igreja, e desfrutar da presença eterna ao lado de Cristo. Hoje, muitas mães estão distantes de seus filhos, e também de Deus. A minha oração neste dia tão especial é para que Deus faça com que os filhos amem as suas mães, e dediquem, não somente homenagens neste dia consagrado a elas, mas todos os dias de sua vida. Mãe é amor, é felicidade. Paulo escrevendo aos efésios disse: “Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa.” (Ef 6.2).

Deixo meus efusivos votos de felicidades e gratidão, como filho e como pastor, a todas a mães de nosso querido Brasil. Feliz Dia das Mães. Deus coroe de bênçãos a todas as mães